Encontro de gerações

Léon, Espanha, Agosto de 2008. Últimos dias de férias. Estamos a meio do nosso almoço num pequeno restaurante, bem próximo do Convento de São Marcos que visitámos durante a manhã. Na mesa ao nosso lado sentam-se um jovem na casa dos 20 anos e um outro senhor com uma idade bem mais avançada. O mais novo, de boné, brinco na orelha e piercing no lábio inferior, não deixa de nos causar alguma estranheza, fazendo-nos até lembrar um qualquer rebelde de uma série televisiva, daquelas muito populares entre os jovens de agora. Após alguns instantes ouvimos a palavra abuelo e percebemos que se trata de avô e neto. Mesmo sem prestar atenção ao conteúdo surpreende-nos a agradável conversa que vão mantendo durante todo o almoço. Numa época em que pais e filhos, embora vivendo sob o mesmo tecto, não conseguem muitas vezes encontrar tempo ou assunto para conversar, ali estavam avô e neto, duas gerações com seguramente 50 anos de distância, conversando animadamente. A certa altura o avô acaba por meter conversa com a nossa pequena, dizendo-lhe que tem que comer tudo para ser grande. Acabamos por trocar algumas frases de circunstância. Terminam a sua refeição ainda antes de nós e é o neto quem vai pagar a conta. O avô vira-se para mim e diz-me que não faz mal, que da próxima vez pagará ele. Com isto deduzo que se devem encontrar com frequência. No final despedem-se de nós com o avô a apertar-me a mão e a desejar-nos buenas vacaciones.

De regresso ao carro para prosseguirmos viagem registamos com agrado este verdadeiro encontro de gerações.

Luís dos Anjos